Menu fechado

Campanha Não Troque Seu Voto por Água orienta população do Semiárido sobre a importância do voto consciente

Nas eleições de 2018, a Articulação Semiárido Brasileiro (ASA) retoma a campanha “Não Troque Seu Voto por Água”. Este ano, diante da atual conjuntura, a campanha provoca uma reflexão sobre a importância do voto para a retomada de políticas que garantam os direitos da classe trabalhadora e que também fortaleçam a convivência com o Semiárido.

“Este ano o nosso desafio com essa campanha se amplia porque agora não é apenas o direito a água que está em cheque. Estamos vivenciando um retrocesso que tem levado centenas de pessoas a uma situação de miséria e fome; e alguns candidatos têm usado essa situação de vulnerabilidade das pessoas para garantir votos. Então, nós estamos orientando o povo que não é assim que elas terão uma melhor condição de vida. Pelo contrário!”, defende o coordenador da ASA pelo estado de Pernambuco, Alexandre Pires.

Ele ainda explica que “é fundamental nestas eleições se informar sobre o histórico do candidato/a ao cargo de deputado estadual, deputado federal, senador, governador e presidente, suas ideias e a que interesses ele/a serve. Quem defende o agronegócio, a violência contra a mulher, é contra a população LGBTQ+, o racismo, a mercantilização da água e da terra, a violência contra as comunidades tradicionais não comunga da agenda política do Semiárido que estamos construindo”.

A campanha será disseminada nos municípios de todo Semiárido brasileiro, através de peças radiofônicas e orientações sobre a denúncia da compra e troca de votos e sobre a importância do voto consciente. A proposta também dá ênfase a importância do voto feminista. Dados estatísticos da Justiça Eleitoral mostram que 52% do eleitorado brasileiro é formado por mulheres, mas apenas 10,5% do conjunto de deputados federais são mulheres da Câmara Federal são deputadas.

“Para a consolidação da democracia, é fundamental a participação de mulheres que defendam o feminismo nos espaços de representação política”, reforça a coordenadora da ASA pelo estado da Paraíba, Glória Araújo.

Documento – A ASA também divulgou uma carta aos candidatos e candidatas ao pleito eleitoral de 2018, denunciando, entre outras coisas, que ‘as ações atualmente desenvolvidas no Semiárido negam a vida e concentram cada vez mais renda e poder nas mãos de poucos. Um exemplo claro para nós que fazemos a ASA são os cortes na política de acesso à água, mais especificamente no Programa Cisternas, na ordem de 90%, ao que se somam cortes violentos nas políticas de educação, saúde, programas de economia solidária, dentre outros’. A carta também aponta uma série de questões importantes para a convivência com o Semiárido, como a continuidade nos investimentos em políticas de acesso à água, a derrubada da Emenda Constitucional (EC) 95 e a implementação de uma política de convivência com o Semiárido. Para ler a carta na íntegra, clique aqui

Fonte:http://asabrasil.org.br/noticias?artigo_id=10656

Foto por: Fernanda Cruz – Asacom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *